O QUE NÃO TEM FIM

 

O novo CD de Vital Lima

 

 

 

VITAL LIMA

 

     Vital Lima nasceu em Belém do Pará onde, em 1974, foi uma das revelações do 1º Festival de Música e Poesia Universitária ao lado da então iniciante Fafá de Belém, que interpretava uma de suas músicas. No júri do Festival estava o poeta Hermínio Bello de Carvalho que, dentre as canções do compositor seleciona uma, Rock'n Roll, para o repertório do show "Te Pego Pela Palavra" estrelado pela cantora Marlene, no Rio de Janeiro, e que acabaria por se tornar seu primeiro trabalho registrado em disco.

Transferindo residência para o Rio, onde concluiu o curso de Filosofia (UFRJ), Vital faz músicas com Hermínio Bello de Carvalho que acabariam sendo a base do repertório do LP "PASTORES DA NOITE", lançado em 1978 e cuja música título viria a ser um dos temas da novela "Memórias de Amor" da Rede Globo de Televisão, bastante executada pelas rádios em todo o Brasil.

     Nos anos seguintes Vital Lima percorre várias capitais brasileiras como participante do Projeto Pixinguinha, ao lado de artistas como Carmélia Alves, Antonio Adolfo, Fafá de Belém e Belchior. Mais tarde divide o palco do projeto "Seis e Meia" com Emílio Santiago. Em 1980 grava o LP "CHEGANÇAS" e sua música "Arisco" é classificada para o Festival MPB-80 da Rede Globo. Participa da gravação da música "Tal Qual Eu Sou"(Vital Lima/H. B. de Carvalho), interpretada por Lucinha Araújo e que viria a ser tema da novela "Sol de Verão" da Rede Globo, em 1983. Com Neila Tavares apresenta um quadro fixo no programa da TV Educativa, "Lira do Povo".

     Convidado por Antonio Adolfo grava as faixas "Forrobodó" e "Abre Alas" (C/ Nilson Chaves), para o LP em homenagem a Chiquinha Gonzaga. Com Nilson Chaves realiza vários shows em cidades brasileiras que acabam motivando o convite da gravadora VISOM para a gravação do LP "INTERIOR", em 1986, que se tornaria um grande sucesso da dupla no norte do país.

     Em 1990 grava o LP "VITAL", registrando suas novas  composições em lançamento do selo "Outrosbrasis".

      Em 1992 divide com Nilson Chaves a concepção e interpretação da obra do internacionalmente consagrado compositor amazônico Waldemar Henrique no LP "WALDEMAR" que, relançado comercialmente em CD, em 1994, foi considerado um dos 10 melhores lançamentos do ano pela crítica do jornal "O Globo" do Rio de Janeiro.

    Em 1997 produz com a gravadora Outrosbrasis o CD "CHÃO DO CAMINHO", coletânea remasterizada de seus trabalhos lançados em vinil. O Cd traz também duas gravações inéditas do compositor: a faixa título e "Leopardo", anteriormente gravada por Marisa Gata Mansa.

     Em 2005 Vital Lima lança o CD "Das Coisas Simples da Vida", muito bem recebido pela crítica paraense, carioca e paulistana. Como parte do lançamento faz shows em capitais do Norte do País e no Teatro Rival e Centro Cultural da Justiça Federal, no Rio de Janeiro.

Em março de 2005, também  dentro das comemorações dos setenta anos do poeta, parceiro de Vital, Hermínio Bello de Carvalho, a gravadora Biscoito Fino relança o álbum "Pastores da Noite.

   Com Nilson Chaves, em 2009, grava o DVD "Sina de Ciganos", um apanhado da história musical que fizeram juntos, no teatro Margarida Schivazappa, em Belém do Pará. O DVD foi lançado em 2011.

A convite de Leila Pinheiro participa também do projeto "Amazônia Com Vida", realizado entre julho e novembro de 2012 no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro, em que a cantora recebia compositores nascidos na Amazônia brasileira.

      Vital, além de seus próprios discos, tem músicas gravadas por Marlene, Simone, Fafá de Belém, Elizeth Cardoso, Alaíde Costa, Ademilde Fonseca, Leila Pinheiro, Wanderléa, Emílio Santiago, Marisa Gata Mansa, Zé Renato, Lucinha Araújo, Jane Duboc, Dominguinhos, Marco André, Zeca do Trombone, Patrícia Bastos (cantora amapaense premiada no 25º Prêmio da Música Brasileira/2014), Áurea Martins, Ninah Jo, Pe. Fabio de Melo e Arthur Nogueira, entre outros.

   Nesse meio tempo Vital teve sua obra revisitada por cantores paraenses, no show gravado ao vivo, CANTO VITAL e em 2014, a cantora paraense Alba Maria gravou o DVD SIMPLESMENTE VITAL, em show dedicado à obra do compositor.

     Dez anos após o lançamento do CD "Das Coisas Simples da Vida", Vital Lima reúne 14 canções, daquelas feitas nesse período, em seu novo CD "O QUE NÃO TEM FIM", pelo selo Mills Records, com lançamento em 2015.

     Vital também compõe para peças de teatro, destacando-se as trilhas das peças 'O CÂNDIDO CHICO XAVIER" (encenada pela Cia. do Caminho em temporadas no Rio de Janeiro e São Paulo e excursões por várias cidades brasileiras) e de "BONEQUINHA DE PANO", de Ziraldo, estrelada por Zezé Fassina, sobre letras de Jamil Damous e do próprio Ziraldo. Por "BONEQUINHA DE PANO", Vital e Jamil Damous receberam o prêmio "Maria Clara Machado" de Melhor canção/Trilha de Teatro Infantil de 2003,  prêmio  da Prefeitura do Rio de Janeiro.

 

 

 

 

 

 

O QUE NÃO TEM FIM

 

 

 

"O que não tem fim" marca o retorno de Vital Lima aos estúdios de gravação, após dez anos desde o lançamento de seu CD anterior, “Das Coisas Simples da Vida”, reunindo 14 canções selecionadas dentre as composições feitas ao longo desses dez anos, solitariamente ou com parceiros, e um poema de Hermínio Bello de Carvalho, na voz do poeta.

 

O embrião para a seleção do repertório deu-se da ideia do Amor como elemento de unidade e do movimento de tudo o que existe, que o compositor, uma vez mais, foi buscar no filósofo pré-socrático Empédocles e que serviu para alinhavar as canções do CD. Sobre uma melodia do compositor paraense Nilson Chaves, Vital construiu a letra onde se dá a ver o elemento condutor do roteiro das canções e que leva o mesmo nome do trabalho.

 

"O que não tem fim" é uma produção do compositor e do guitarrista/violonista Fernando Carvalho, que também assina a maioria dos arranjos. O CD tem ainda a participação dos músicos Fernando Merlino (teclados), Ney Conceição (baixo), Marcos Zama (percussão), Luciano Correa (cello), David Ganc (Flautas e Sax) e Antonio Augusto (trompa). No CD, Vital também faz duetos com Leila Pinheiro, Arthur Nogueira, Ninah Jo, Patrícia Bastos, Nilson Chaves e Leticia Carvalho. O poema Enunciação, recitado por Hermínio Bello de Carvalho no CD, foi enviado pelo poeta a Vital, para que o conhecesse, e acabou ganhando melodia do compositor paraense. Assim, "Enunciação" fecha o trabalho na forma de poema e na forma de canção. Vital é parceiro de Hermínio desde o seu disco de estreia chamado "Pastores da Noite", gravado em 1978, o qual, inclusive, está sendo mais uma vez reeditado este ano (2015) como parte da homenagem que a gravadora Biscoito Fino presta ao poeta Hermínio, pela passagem dos seus 80 anos. O poema também faz parte do livro "Meu Zepellin Prateado", coletânea de novos poemas de Hermínio, lançado em abril/2015, pela livraria editora Folha Seca.

 

A faixa de abertura de "O que não tem fim" retoma a canção Sobreviventes, com letra do paraense Ronald Junqueiro, que fecha o CD anterior do compositor, "Das Coisas simples da Vida". A intenção é a de dar uma ideia de continuidade, a vinheta da canção servindo de elemento de ligação dos dois álbuns.

 

Outros parceiros do compositor presentes no CD são os cariocas Fernando Carvalho( melodia de O Grou) e Fabio Rocha (poema Crisálida), o maranhense Jamil Damous (letra de A vida do nosso amor), os paraenses Nilson Chaves (melodia de O que não tem fim, a faixa-título), Leandro Dias (melodias de Pedras de Lioz, Lua de Fel, Uma outra manhã e Dos caminhos), Zé Maria Siqueira (parceiro de Leandro Dias na melodia de Dos Caminhos), Ronald Junqueiro (letras de Sobreviventes e Post It) e Jorge Andrade (letra de Não se Esqueça).

 

O Cd foi gravado por David Ganc no estúdio Ipanema, Rio de Janeiro, também responsável, juntamente com Vital e Fernando Carvalho, pela mixagem. A masterização foi realizada por Carlos Mills.

 

 

 

 

 

O QUE NÃO TEM FIM

 

por Vital Lima

 

(Do encarte do CD)

 

       Passados dez anos desde o lançamento do “Das Coisas Simples da Vida”, a quantidade de novas canções , mesmo para quem, como eu, aguarda sem ansiedade o surgimento do desejo de tecer um novo emaranhado de notas ou de deixar fluir a letra para a melodia que algum parceiro mandou-me tempos atrás, já entulhava o computador. O computador, hoje, é como a gaveta dos tempos em que comecei e para que servem canções que ficam entulhando as gavetas? Canções são para se desvelar e, com sorte e muito cuidado ao tecê-las, nesse desvelamento, podem  tocar o coração alheio. E quando isso acontece funcionam como um bálsamo na alma do compositor. Penso que contei umas 70 novas canções quando este CD começou a dar seus ares pelo mundo. Reduzi-las para quatorze não foi uma tarefa simples, mas aí está uma das seleções possíveis. E houve esse desejo de reuni-las sob esse tema " O que não tem fim", título de uma parceria recente com meu sempre parceiro, amigo e irmão, Nilson Chaves.

 

     O Amor, assim mesmo com letra maiúscula, talvez seja o que não tem fim para mim. Ele é esse mistério que não se pode medir, essa verdade grande que é capaz de dar um sentido à nossa existência, seja manifestando-se como um preenchimento daquilo que nos falta, seja enchendo-nos de vontade de nos atirarmos inteiros em uma empreitada, seja nos fazendo respeitar a existência do outro, seja realizando a unidade do múltiplo, como afirmava Empédocles, o filósofo pré-socrático. E não poderia ser de outro jeito, este trabalho foi também regido pelo amor, o que se pode resumir na entrega e carinho dos músicos, cantoras e cantores  que emprestaram seus talentos para que o CD se tornasse real e que encheram de alegria o meu coração. Minha gratidão sem fim, então, para Fernando Carvalho, Ney Conceição, Marcos Zama, Fernando Merlino, Luciano Correa, David Gang, Leila Pinheiro, Patrícia Bastos, Ninah Jo,  Letícia Carvalho, Herminio Bello de Carvalho, Nilson Chaves e Arthur Nogueira. Também agradeço ao Carlinhos Mills pela confiança. E, finalmente, amorosamente dedico este registro aos meus parceiros de música, às minhas irmãs e irmãos, sobrinhas e sobrinhos, amigas e amigos amados, aos que gastam um pouco de seu tempo para ouvir nossas canções e a todas as pessoas queridas que tornaram minha caminhada mais doce antes de partirem deste mundo.

 

Ficha Técnica:

 

Produzido por Fernando Carvalho e Vital Lima

Produção executiva de Vital Lima

Direção de estúdio de Fernando Carvalho

Direção artística Mills Records: Carlos Mills

Gravado e mixado por David Ganc no Estúdio Ipanema – Rio de Janeiro RJ

Masterizado por Carlos Mills

Arte da capa e encarte de Rico Alves

Site de Vital Lima: http://www.vitallima.com Página da Mills Records : http://facebook.com/millsrecords.br